INSIGHTS .

O crescimento do marketing de influência durante o coronavírus

Para você, qual anúncio tem mais impacto: um produto apresentado por um figurante ou por uma pessoa da qual você é fã, admira e confia? Não há a menor dúvida de que a influência de uma pessoa admirada pelo público tem resultados diretos – e positivos – sobre as vendas de um determinado produto. Não à toa, as empresas contratam, por cifras milionárias, formadores de opinião, como atores e cantores, para divulgarem suas marcas. Tudo isso faz parte do marketing de influência.

A novidade deste mercado de marketing de influência são os chamados digital influencers, ou influenciadores digitais. São verdadeiros astros do YouTube e do Instagram, seguidos por milhões de pessoas e disputados para anunciar os mais variados produtos. Cada vez mais presentes na publicidade tradicional e no marketing de influência, os influenciadores digitais vêm ganhando ainda mais espaço com a pandemia do coronavírus.

O que é um influenciador digital?

De acordo com uma pesquisa do Google, nada menos do que 70% dos jovens confiam mais nos influenciadores digitais do que nas tradicionais celebridades. Essa pesquisa comprova a força do influenciador digital: trata-se de um formador de opinião que se dedica a falar com seu público nas redes sociais, principalmente YouTube e Instagram.

Muitos deles são pessoas comuns, que acabam se tornando celebridades e arrastando milhões de seguidores ao abordarem um assunto específico, tornando-se uma autoridade. É o caso, por exemplo, de uma cozinheira que dá dicas nas redes sociais ou alguém que segue uma dieta e perdeu muito peso, entre tantos outros exemplos cotidianos.

O que é marketing de influência?

O marketing sabe muito bem da força que celebridades têm junto ao seu público e, por isso, utilizam de sua força para vender produtos. Trata-se do marketing de influência, um conjunto de ações focadas em alguém que é um formador de opinião, respeitado e seguido pelas pessoas, que o encaram como uma tendência.

Um anúncio de uma determinada rede de supermercados carioca estrelado por Ivete Sangalo é um claro exemplo de marketing de influência. Promover uma live de um artista patrocinado por uma marca também é outro exemplo.

O crescimento do mercado de influenciadores digitais

Não se engane: esse mercado está explodindo, apresentando números cada vez mais sólidos. O AdWeek, por exemplo, prevê que a indústria de marketing de influência vai movimentar mais de US$ 10 bilhões ao longo de 2020. O interesse é tão grande que o primeiro curso de graduação em terceiro grau específico sobre digital influencer, do Centro Universitário Brasileiro, de Recife, já está completando dois anos. Ou seja, já existe até faculdade para formar influenciadores digitais!

O marketing de influência e o coronavírus

A pandemia do novo coronavírus mexeu sensivelmente nos números do e-commerce no mundo todo, trazendo para o mundo digital muita gente que jamais havia feito qualquer compra online. Por exemplo, o consumo de informação online também vem crescendo sistematicamente, e a sucessão (e o sucesso) das lives comprova isso.

Nesta pandemia, virou moda assistir lives, sejam de cantores, atores ou especialistas debatendo os mais variados temas. A agenda de opções é extensa e diária, e o marketing digital não vem desperdiçando a chance de alcançar mais consumidores por meio do marketing de influência. Uma das mais importantes agências mundiais de marketing de influência nas redes sociais, a SamyRoad estimou que a procura dos anunciantes por influenciadores digitais cresceu 40% durante a pandemia.

Pesquisas do YouTube mostram que o crescimento de uplouds de lives durante a pandemia foi de 15,6%. A live de Sandy e Junior, por exemplo, chegou a contar com mais de 2,5 milhões de pessoas assistindo a transmissão ao mesmo tempo. Na ocasião, a dupla arrecadou mais de mil toneladas de alimentos para distribuir para pessoas em situação de risco. Obviamente que a live teve patrocínio de uma grande empresa brasileira.

Conclusão

Em conclusão, o marketing de influência vem ganhando um espaço cada vez maior nas redes sociais, e a pandemia ajudou a turbinar esse mercado. Mais do que nunca, os influenciadores digitais estão na moda, colhendo os frutos de contar com milhões de seguidores. Enquanto isso, o crescimento de influenciadores também é notório e o sucesso das lives está aí, comprovando isso.